Espero tua (Re) Volta

(Brasil, 2019, 91’, dir. Eliza Capai)

Quando a crise se aprofundou no Brasil, os estudantes saíram às ruas e ocuparam escolas protestando por um ensino público de qualidade e uma cidade mais inclusiva. ESPERO TUA (RE)VOLTA acompanha as lutas estudantis desde as marchas de 2013 até a vitória do presidente Jair Bolsonaro em 2018. Inspirado pela linguagem do próprio movimento, o filme é conduzido pela narração de três estudantes, representantes de eixos centrais da luta, que disputam o lugar de fala e explicitam conflitos do movimento, evidenciando sua complexidade. A frase "espero tua (re)volta" foi criada em 2015 por Leto William, como parte da sua série de cartazes intitulada "escritório".

Ficha Técnica

 

  • Direção e roteiro: Eliza Capai 

  • Produção e produção executiva: Mariana Genescá 

  • Narrado e escrito com a colaboração de: Lucas “Koka” Penteado, Marcela Jesus e Nayara Souza 

  • Assistente de produção executiva: Jacqueline Melo 

  • Montagem: Eliza Capai e Yuri Amaral 

  • Fotografia: Eliza Capai e Bruno Miranda 

  • Documentaristas 2015: Caio Castor e Henrique Cartaxo/ Jornalistas Livres

  • Trilha sonora original: Décio 7 

  • Edição de som e mixagem: Confraria de Sons & Charutos 

  • Finalização: Clandestino 

  • Arte e letreiros: Bijari 

  • Criação e lambe cartaz: Zé Vicente 

  • Foto cartaz: Carol Quintanilha 

#democracia: No Brasil, o DIREITO AO PROTESTO é garantido pela Constituição. No atual contexto de fragilização das instituições democráticas, as narrativas restritivas ao direito ao protesto crescem, e é preciso um olhar crítico frente ao recrudescimento da repressão pelo Estado brasileiro. Se o país é historicamente caracterizado pela violência contra manifestantes e criminalização de movimentos sociais, essa repressão vem cada vez mais acompanhada, desde Junho de 2013, de outras iniciativas que tentam limitar esse direito. O documentário permite, ao mesmo tempo, acessar o relato vivo de uma juventude em luta, e também os exemplos da sofisticação e articulação dos mecanismos de repressão do Estado.

Sessões na Mostra

11/09, às 19h, no CEU Jaçanã

sessão + debate sobre DIREITO AO PROTESTO com: 

 

  • MARCELA JESUS, apersonagem do filme, participou das ocupações estudantis de 2015 e 2016. Atriz e dançarina na ColetivA Ocupação com a peça "Quando Quebra Queima".

  • KAIQUE MENEZES, secundarista autônomo, morador do extremo Sul de São Paulo, militante anti-capitalista, anti-colonialista e ativista em educação.

12/09, às 17h, no CFC Cidade Tiradentes

sessão + bate-papo sobre DIREITO AO PROTESTO com:

  • MAFÊ, 17 anos, estudante da Etec Santa Ifigênia. militante no movimento secundarista autônomo desde 2017, porém desde 2015 acompanha a luta de perto.

  • MARCUS NASCIMENTO, militante anti-racista, anti-capitalista, ativista em educação e pesquisador de questões raciais.

12/09, às 19h, no CEU Três Lagos

[nesse dia, após a sessão, haverá o bate-papo FAZENDO CINEMA, com Pedro Nishi e Vinícius Silva, diretores do curta "Liberdade", exibido antes de "Espero...".]

13/09, às 19h, no Cine Olido

15/09, às 17h, no CCSP

sessão + debate sobre DIREITO AO PROTESTO com:

 

  • CAMILA MARQUES, coordenadora do Centro de Referência Legal em Liberdade de Expressão e Acesso à Informação da ARTIGO 19; conselheira consultiva da ouvidoria da Defensoria Pública de SP.

  • MARCELA REIS, ex-ocupante, estudante da escola Fernão Dias Paes.

  • GUILHERME NOGUEIRA, estudante secundarista e ativista em educação.

  • SÉRGIO SILVA, fotógrafo.

DIREITO AO PROTESTO

baixe o material complementar

* Você pode imprimir em A4 e fazer o acabamento

com duas dobras no local indicado.

Sobre a realizadora

 

ELIZA CAPAI  é jornalista e foi bolsista do OpenDocLab no MIT. Atua como documentarista com temáticas relacionadas a gênero e sociedade e assina a direção e roteiro de quinze curtas-metragens e quatro séries para TV, três séries para web, além de três médias e três longas-metragens documentais. "Espero tua (re)volta" estreou no Festival de Berlim (2019), onde recebeu o Prêmio da Anistia Internacional e o Prêmio da Paz. O filme segue circulando por festivais e recebendo prêmios, entre eles o Prêmio de Melhor Filme em sua estréia nacional no Olhares de Cinema.

1ª Mostra Taturana de Cinema / 2019 pela Democracia

10 a 16 de setembro | SP