1ª Mostra Taturana de Cinema / 2019 pela Democracia

10 a 16 de setembro | SP

O Pacto de Adriana

(Chile, 2017, 96’, dir. Lissette Orozco)


Quando criança, Lissette tinha sua tia Adriana como um grande exemplo. Em 2007, sua tia foi presa e a garota soube que ela trabalhava para a DINA, polícia secreta do ditador chileno Augusto Pinochet. Algum tempo depois, já na democracia, Adriana fugiu do país enquanto enfrentava um processo judicial pelo assassinato de um importante líder comunista. Na Austrália, os imigrantes chilenos organizam manifestações e pedem sua extradição. O caso se torna midiático e Lissette passa a fazer uma minuciosa investigação da vida de sua tia. Tem acesso a documentos e depoimentos de vítimas da ditadura. Decide então enfrentá-la para desvendar os segredos da história de seu país.

Ficha Técnica

  • Direção e roteiro: Lissette Orozco

  • Fotografia: Julio Zúñiga, Daniela Ibaceta, Brian Martínez

  • Montagem: Melisa Miranda

  • Música: Santiago Farah, Anita Tijoux

  • Produtor: Gabriela Sandoval, Carlos Nuñez, Benjamín Band

  • Produção: Storyboard Media, Salmon Producciones

Sessões na Mostra

12/09, às 19h, no Cine Olido

 

13/09, às 19h, no CCSP

sessão + debate sobre MEMÓRIA E JUSTIÇA com:

 

  • CARLA OSMO foi pesquisadora sênior da Comissão Nacional da Verdade e membro do Comitê de Relatoria de seu relatório final (2014). Seus principais temas de atuação são: Direitos Humanos, Sistemas Internacionais de Proteção dos Direitos Humanos e Justiça de Transição. É Professora da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). 

  • LUCAS PAOLO VILALTA, coordenador da área de Memória, Verdade e Justiça do Instituto Vladimir Herzog. É doutorando, mestre e bacharel em Filosofia pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP, onde desenvolve sua pesquisa em Filosofia da Informação. É professor de novas tecnologias, redes sociais e modos de vida e trabalho na era digital. Também é macumbeiro, pai pequeno do terreiro omoloko Teufilá - Ilê Axé Egbe Igburuinon.

  • VERA PAIVA, psicóloga e professora do Instituto de Psicologia (IP) da Universidade de São Paulo (USP). Filha de um desaparecido político, foi militante contra a ditadura e fundadora do DCE Livre da USP. Desde 1996, tem sido consultora junto às Nações Unidas (UNAIDS, OMS, UNESCo, UNFPa) e é pesquisadora da prevenção da AIDS.

#democracia: O filme O Pacto de Adriana aborda, a partir de uma história pessoal, a questão do julgamento e punição de crimes cometidos por agentes de Estado e outros agentes ligados a regimes de exceção que torturaram e mataram pessoas com uso do aparelho estatal. No Brasil, a Comissão Nacional da Verdade foi criada como um órgão temporário (Lei 12528/2011), em 2012, e teve por finalidade apurar graves violações de Direitos Humanos ocorridas entre 18 de setembro de 1946 e 5 de outubro de 1988 no país. A CNV encerrou suas atividades em 2014 com a entrega do relatório final, contudo o Centro de Referência Memórias Reveladas, do Arquivo Nacional, mantém um portal com toda a documentação do processo: http://cnv.memoriasreveladas.gov.br.

Sobre a realizadora

 

LISSETTE OROZCO nasceu em Santiago, Chile, em 1987. É diretora, roteirista e possui mestrado em cinema documental. PACTO DE ADRIANA é seu primeiro longa-metragem. Estreou no 67º Festival Internacional de Cinema de Berlim e ganhou prêmios em diferentes festivais:  Corfo 2012 (Chile), Tribeca Film Institute 2015, DocsDF 2015 (México), entre outros.