SUSSIA_H264_5mb.00_13_54_14.Quadro006 (1).jpg
A Sússia

(Brasil, 2018, 17’, dir. Lucrécia Dias)

Ao som de caixas, pandeiros e bumbos, mulheres e homens de todas as idades cantam, tocam, batem palmas, dançam, recriam as tradições e recontam sua própria história na Comunidade Quilombola Lagoa da Pedra.

Ficha Técnica

 

  • Roteiro, produção e direção: Lucrécia Dias 

  • Diretor de fotografia: Rafael Mazza 

  • Técnico de som: Greco Nogueira 

  • Consultor de roteiro e assistente de direção: André da Costa Pinto

  • Produtora de set: Patricia Cortes 

  • Editora: Márcia Medeiros, edt. 

  • Assistente de edição: Felipe Romero

  • Imagens adicionais: Lucrécia Dias 

  • Fotógrafo still: Gustavo Louzada 

  • Colorista: Glauco Guigon (Yellow Bunker) 

  • Editor de áudio e mixagem: Bernardo Gebara 

  • Arte do título: Analúcia Godoi 

  • Assistente: Gustavo Miaciro

Sessões na Mostra

Online

14/09 a 19/09 - Plataforma TodesPlay

Presencial

15/09, às 15h30 (BRT) - Centro Cultural São Paulo

Sala Paulo Emílio | 99 lugares (limitados a apenas 40% da capacidade)

Rua Vergueiro, 1000 - Metrô Vergueiro - São Paulo

barra-v2.png
todesplay_horizonta_monob.png
barra-v2.png

15/09, às 19h (BRT), na                        e no 

Debate EM DEFESA DA VIDA, com 

 

  • NILCE PONTES PEREIRA, quilombola, agricultora familiar, agroecóloga, educadora popular, coordenadora nacional da Coordenação Nacional de Articulação de Quilombos (Conaq) e membro do Fórum de Comunidades Tradicionais da Equipe de Articulação e Assessoria às Comunidades Negras do Vale do Ribeira.

 

  • BIA PANKARARU, natural do Território Indígena Pankararu, em Pernambuco. Trabalha como técnica em enfermagem na Equipe Multidisciplinar de Saúde Indígena no Pólo Base Pankararu. É militante indígena LGBTQI+ e produtora cultural, e atriz do longa Rama Pankararu, dirigido por Pedro Sodré.

  • SOPHIA PINHEIRO, pensadora visual. Interessada em processos de criação, gênero, sexualidade e epistemologias ameríndias. É realizadora dos filmes “TEKO HAXY - ser imperfeita” (2018) co-dirigido com a cineasta Mbyá-Guarani Patrícia Ferreira Pará Yxapy e “Nhemongueta Kunhã Mbaraete” (Programa IMS Convida, 2020), em colaboração com Graciela Guarani, Patrícia Ferreira Pará Yxapy e Michele Kaiowá.

  • SEMAYAT OLIVEIRA é uma jornalista, escritora e documentarista e especialista em Cultura, Educação e Relações étnico-raciais pela ECA-USP. Cofundadora do Nós, mulheres da periferia, atua há dez anos com foco em criar novos imaginários e narrativas sobre as mulheres brasileiras, a periferia e a população negra.

  • Intervenção poética de LUZ RIBEIRO, integra o grupo de pesquisa e teatro “coletivo legítima defesa”, escreve desde que fora alfabetizada e nem por isso se acha poeta, sonha com o dia que será poesia. Slammer. Luz é: mar-mãe de ben e filha-mar de odoya.

todesplay_horizonta_monob.png
2560px-Logo_of_YouTube_(2015-2017).svg.png

#EmDefesaDaVida: Os filmes A Sússia (Brasil, 2018), Entremarés (Brasil, 2018) e Nhemongueta Kunhã Mbaraete (Brasil, 2020) integram o eixo temático da Mostra EM DEFESA DA VIDA: direito ao território e ao modo de viver. Os três filmes mostram diferentes modos de viver, a resistência e a luta por justiça socioambiental. E reafirmam que a garantia dos bens comuns (as águas, os territórios, as florestas etc.) e da diversidade cultural só é possível a partir da ação política organizada de forma autônoma por comunidades e redes. Em A Sússia, o fio condutor é a dança que dá nome ao filme. Os moradores da Comunidade Quilombola Lagoa da Pedra conectam passado e presente e recontam sua própria história ao relembrar e recriar suas tradições de música e dança. O filme também aborda a importância da autorrepresentação na construção de um olhar cuidadoso e não-estereotipado das pessoas e suas práticas.

Sobre a realizadora

 

Lucrécia Dias nasceu na Comunidade Quilombola Lagoa da Pedra. Atualmente é estudante da faculdade de Educação do Campo, com licenciatura em Artes Visuais e Música. O filme é fruto do Concurso de Histórias do Revelando os Brasis, que participou enquanto cursava produção cultural pela Fundação Palmares em parceria com a Universidade Federal do Tocantins.

20170818_Oficina_ANO VI_RTA6573.jpg