Diaria 2 Kelton.00_10_31_02.Quadro005.jpg
Raízes

(Brasil, 2020, 72’, dir. Simone Nascimento e Well Amorim)

Em busca de suas raízes, Kelton resgata a ancestralidade de sua família e se depara com o apagamento da história do povo negro brasileiro.

Ficha Técnica

 

Maloka Filmes apresenta

  • Direção: Simone Nascimento e Well Amorim

  • Elenco Principal: Kelton Santos

  • Roteiro: Carlos De Nicola, Simone Nascimento e Well Amorim

  • Produção Executiva: Nayana Ferreira e Wellington Amorim

  • Dir. Fotografia: Nay Mendl

  • Op Câmera: Gabriel Arruda, Mary Abrantes, Nay Mendl e Wellington Amorim

  • Elétrica: Stephanie Modesto e Tatiane Ursulino

  • Produção: Bruna Lima, Larissa Castanha, Nayana Ferreira

  • Dir Arte: Bruna Lima

  • Som Direto: Adller Oliveira, Carlos De Nicola e Ivan Salomão

  • Montagem: Nay Mendl

  • Ass Montagem: Rosa Caldeira

  • Mixagem e Masterização: Carô Petersen

  • Color Grading: Clau Rossatti

  • Social Media: Victoria Alves

  • Arte Logo: Amanda Daphne

Sessões na Mostra

Online

15/09 a 17/09  - Plataforma TodesPlay

*online 48h, sempre das 20h - 20h (BRT)

Presencial

16/09, às 15h30 (BRT) - Centro Cultural São Paulo

Sala Paulo Emílio | 99 lugares (limitados a apenas 40% da capacidade)

Rua Vergueiro, 1000 - Metrô Vergueiro - São Paulo

17/09, às 15h (BRT) - CFC Cidade Tiradentes

146 lugares (limitados a apenas 30% da capacidade)
Avenida Inácio Monteiro, 6900, bairro Cidade Tiradentes - São Paulo

barra-2.png
todesplay_horizonta_monob.png
barra-2.png

#ÁrvoreDaMemória: Os filmes Pontes Sobre Abismos (Brasil, 2017), Raízes (Brasil, 2020), Travessia (Brasil, 2017), Yellow Fever/ Febre Amarela (Quênia, Reino Unido, 2012) integram o eixo temático da Mostra ÁRVORE DA MEMÓRIA: busca da ancestralidade e combate ao apagamento e à invisibilidade. Esses filmes abordam, de maneira geral, dois temas principais e interrelacionados: o apagamento histórico das origens dos personagens – e suas buscas por restaurar a memória e a ancestralidade –, e o combate à invisibilização e embranquecimento dos corpos e das culturas que perpetuam o racismo. Em Raízes, o jovem Kelton, morador da Brasilândia, periferia da zona Norte de São Paulo, percorre uma jornada para tentar construir sua árvore genealógica. Entre diversas dificuldades burocráticas e registros perdidos, Kelton viaja pelo país e aos poucos se conecta com seus parentes mais distantes.

17/09, de 10h às 13h (BRT), na Plataforma ZOOM 

Oficina CARTAS PARA UM FUTURO PRÓXIMO, com 

 

  • MICAELA CYRINO,  artista visual, educadora e ativista pelas pessoas negras vivendo com HIV. Atua como Consultora no Projeto "Awon Obirin - cuidando de quem cuida", a partir do fomento da Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo e Educadora no Instituto Criar de TV e Cinema. Em 2015 participou da Sicaliptica-Residência artística “Cuerpo positivo” Quito-Equador, onde criou a performance Cura. Em 2009 foi palestrante no TEDx Vila Madá - Juventude e HIV/Aids e participou como palestrante na Conferência Mundial de Juventude Guanajato-México Adolescente e jovens vivendo com HIV/Aids. Fez parte do Intercâmbio Brasil/Jamaica Onu Mulheres- Mapeamento e intercâmbio de experiências entre adolescentes e jovens vivendo com HIV/Aids. Em 2008, fundou a Rede Nacional de Adolescentes e Jovens Vivendo com HIV/Aids.

SOBRE O ENCONTRO: Em parceria com a Oficina Cultural Alfredo Volpi. Propõe trabalhar a escrita criativa e compartilhamento de ideias sobre a possibilidade de imaginar o envelhecer, se projetando para o futuro, referenciando-se no passado.

INSCREVA-SE AQUI, até 14/09.

Sobre os realizadores

 

Simone Nascimento, 28 anos, é moradora de Pirituba, zona norte de São Paulo.  Bacharel em Comunicação Social - Jornalismo pela PUC-SP, Técnica em Figurino pelo Instituto Criar de TV, Cinema e Novas Mídias,  Técnica em Estilismo e Coordenação de Moda pelo SENAC ei extensão em Políticas de Representação e Imaginário de Mulheres Negras na Mídia pela Universidade de São Paulo. É  jornalista, roteirista, apresentadora e youtuber, com experiência nas áreas de Direitos Humanos, Gênero e Raça, premiada com o Antonieta Barros para jovens Comunicadores Negras e Negros, realizado pela Secretaria Especial de Promoção da Igualdade Racial em 2016.

 

 

Wellington Amorim, 25 anos, é morador do Jardim Angela, zona sul de São Paulo. É Formado em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade Anhembi Morumbi, em Fotografia pelo Instituto Criar de Tv e Cinema e em Produção Audiovisual pela Etec Jornalista Roberto Marinho, é cineasta independente, jornalista, diretor de fotografia, apresentador, filmmaker, roteirista, diretor e pesquisador.