Travessia_Gloriane e Goawingher.png
barra-a.png
Travessia

(Brasil, 2019, 52', dir.  Elen Linth e Riane Nascimento)

Gloriane e Jacqueline são imigrantes haitianas que vivem em Manaus. Enquanto Jacqueline se mantém no novo país às custas da sua pacata venda, Gloriane faz o possível para conseguir os documentos necessários para retornar ao Haiti. Sozinhas, mãe e filha percorrem um longo caminho para trazer parte de sua família para o Brasil.

Ficha Técnica

 

  • Direção: Elen Linth | Riane Nascimento 

  • Roteiro: Elen Linth 

  • Direção de Fotografia: Elen Linth 

  • Direção de Som: Riane Nascimento 

  • Produção executiva: Sarah Pimentel 

  • Montagem, correção de cor e finalização João Gabriel Riveres 

  • Edição de diálogos: Rafael Faustino 

  • Edição de efeitos: Matheus Miguens 

  • Mixagem: Victor Quintanilha 

  • Direção de Produção: Chantal Durpoix 

  • Assistente de Produção: Katriane Lestão 

  • Produtor de pesquisa: Jailes Pimentel 

  • Maquinaria: Marcos Nascimento 

  • Produtora: Eparrêi Filmes 

  • Personagens Principais: Gloriane Antoine Aimable | Jacqueline Marseille

#MurosDoRacismo: Os filmes Filhas de Lavadeiras (Brasil, 2019), Ipa | Ipá (Brasil, 2021), Sementes: mulheres pretas no poder (Brasil, 2020), Travessia (Brasil, 2019) e Thinya (Brasil, 2019) integram o eixo temático da Mostra MUROS DO RACISMO: estruturas e fronteiras geográficas, materiais e simbólicas, e abordam, de diferentes maneiras, o racismo estrutural. Esse termo é entendido como um conjunto de práticas discriminatórias, institucionais, históricas, territoriais, culturais dentro de uma sociedade que frequentemente privilegia alguns grupos em detrimento de outros, construindo muros e fronteiras geográficas, materiais e simbólicas. O média-metragem Travessia aborda o racismo estrutural desde a perspectiva da burocracia estatal: relata a dificuldade de imigrantes de países mais pobres, como o Haiti, de se estabelecer no Brasil, e como essa jornada pode se tornar um fardo ainda maior para as mulheres negras.

Sessões na Mostra

Online

16/09 a 18/09 - Plataforma TodesPlay 

*online 48h, sempre das 20h - 20h (BRT)

Presencial

17/09, às 15h30 (BRT) - Centro Cultural São Paulo

Sala Paulo Emílio | 99 lugares (limitados a apenas 40% da capacidade)

Rua Vergueiro, 1000 - Metrô Vergueiro - São Paulo

 

todesplay_horizonta_monob.png
barra-a.png

17/09, às 19h (BRT), na                        e no 

Debate: MUROS DO RACISMO, com 

 

  • CARLOS MACHADO, mestre em História Social pela USP.  Professor de educação básica na rede pública de São Paulo, autor de, entre outros, Wakanda Para Sempre - Tradições Africanas Milenares Decifradas para Entender o Filme Pantera Negra, articulista em Raça Brasil, Ciência Hoje e deputado do Estado da Diáspora Africana (SOAD-France).

  • VIVIANE FERREIRA, diretora-presidente da Spcine; especialista em políticas públicas para o audiovisual. Presidiu e é uma das fundadoras da APAN. Presidiu o Comitê de Seleção do Oscar 2021, responsável por indicar o representante brasileiro para a Academia de Cinema.

  • ROBEYONCÉ LIMA, Nascida e criada na comunidade do Alto Santa Terezinha, Zona Norte do Recife, é bacharela em direito pela UFPE, técnica administrativa pela mesma universidade e atualmente codeputada das Juntas. Como primeira advogada trans do Estado de Pernambuco, se tornou militante nas pautas LGBT, negra e feminista. Membra da Comissão de Diversidade Sexual da OAB-PE, é também dançarina amadora.

  • SILVIA SOUZA - Advogada. Mestranda em Direito (Linha de Criminologia e Racismo) pela Universidade de Brasília (UnB). Pós-Graduada em Direitos Humanos, Diversidades e Violências pela Universidade Federal do ABC. Assessora parlamentar na Câmara Legislativa do Distrito Federal (DF). Membra do Conselho Editorial da Coletânea Juristas Negras (Editora Letramento), Advogada voluntária do IDAFRO (Instituto de Defesa das Religiões Afro- Brasileiras) e Coordenadora Adjunta do Departamento de Estudos e Projetos Legislativos do IBCCRIM.

  • Intervenção poética de LUZ RIBEIRO, integra o grupo de pesquisa e teatro “coletivo legítima defesa”, escreve desde que fora alfabetizada e nem por isso se acha poeta, sonha com o dia que será poesia. Slammer. Luz é: mar-mãe de ben e filha-mar de odoya.

todesplay_horizonta_monob.png
2560px-Logo_of_YouTube_(2015-2017).svg.png
Cartaz 1.jpeg

Sobre as realizadoras

 

Elen Linth atua como curadora, fotógrafa e diretora. Diretora do telefilme Travessia - 2019, da série documental Territórios 5x26' - 2017, da série documental Diversidade 5x26' - 2017, Diretora geral da série de ficção Transviar - 2017, diretora e roteirista do curta-metragem Maria - 2017, e dos curtas Sandrine - 2015, Muros -2015, Pra se contar uma história - 2014, Entre passos - 2012.

 

Riane Nascimento é quilombola, técnica de som, produtora audiovisual e arte educadora. Co-diretora do filme Maria, da série Territórios e do telefilme Travessia. Assina a direção de som das séries Transviar e Diversidade e do curta Pranto Lunar, trabalhou na captação de som dos curtas Sandrine e Muros.